quarta-feira, 30 de março de 2011

words


Palavras. Nem sempre demonstram o que queremos dizer, no bom e no mau sentido. Por vezes, saem fluentemente e escorrem como se não as controlássemos, é como que um hábito, um costume e no entanto, qual o seu significado? Palavras não são tudo, não é suficiente dizer o quanto se gosta de alguém se não se demonstra. Enquanto que as palavras deixam voar a imaginação, acções tornam tudo real, provam que tudo é autêntico e esclarecem a veracidade do que foi dito, por vezes um abraço evidencia mais que qualquer palavra. No entanto, muitas vezes verbalizamos algo que não existe, que significam essas palavras quando caracterizam algo inexistente? Que representam elas emocionalmente se apenas duram nos bons momentos e desaparecem à mínima distância? Essas não significam nada, saem por instinto como uma obrigação, como uma necessidade de demonstrar um afecto temporário por alguém, não têm conteúdo nenhum. Muitos pensam que o silêncio é um vazio que tem de ser preenchido mesmo que não tenham nada de importante para dizer mas porquê estragar o momento dizendo algo que estragará a perfeição do que se passa? No ar ficará sempre a dúvida se fizemos bem ou não, mas preferes esconder algo correcto ou perder alguém por deixares sair algo que na verdade não sentes? Apenas age, pois é a melhor maneira de demonstrar aquilo que sentes.